De cabe├ža para baixo
Alta tecnologia, Made in Japan.


quarta-feira, dezembro 07, 2005  



Coitus interruptus


Vamos por partes. Nao ha fotos. Cameras foram confiscadas, segurancas por todos os lados dando bronca em quem tirava o celular do bolso, enfim. Vai ser longo, leiam.

A entrada

As instrucoes eram pra chegarmos as 7 pra trocarmos o email que recebemos pelo ticket de fato. Chegamos*, pegamos uma fila enorme, maior frio, mas saimos com o ingresso na mao ja mais ou menos as 8:30. A entrada estava programada pra comecar as 9. Pouco antes das 9 fomos pro lugar indicado, colocamos nossas coisas no locker (casacos, cachecois) e ficamos la com um pouco de frio, mas dava pra aguentar, uma vez que ja iamos entrar. Hein? Ja iamos? Pois sim, esperamos mais de 1 hora e daih a organizacao comecou a chamar as pessoas pela numeracao do ticket, de um por um! - numero1! numero 2! - e eu era o numero 222! So de camisetinha, calca jeans e sandalia ja nem sentia mais meus pes e ja imaginava a indenizacao milionaria que ia pedir se perdesse um de meus artelhos pro frostbite.

Antes do show

Entramos, revista minuciosa a procura de cameras e eu so pensava em tomar uma vodka pra esquentar. Naquela boate maravilhosa, esquentamos rapidinho dancando, enquanto o resto do povo estava simplesmente parado. Muita gente que nao merecia estar la, que simplesmente nao pertencia ao lugar. Eu vi uma velhinha sentada na escada tapando os ouvidos com as maos. Coisas dessa categoria. Ommmmmmmmmmm, ommmmmmm. Abstrai, Fabiola, abstrai. Seguimos dancando e nada de show. Cheguei a pensar se a Madonna tava esperando o publico se animar na pista pra poder dar inicio ao show. Haha, pode tirar o cavalinho da chuva, Madonna. Fazer show no Japao eh broxante pro artista. Mas vamo que vamo.

Comecou

Daih ela apareceu e tudo foi alegria. Esqueci o frio, as pessoas nada a ver, a falta de fotos, tudo ficou pra tras, enquanto aquela mulher linda com um colant azul marinho e calca de veludo idem dava um show de danca. Ela abriu com Hang up e seguiu com Get together e I love New York. Nesse momento, ela viu o cartaz de um fa que dizia:

Queen of Pop, Madonna, if you dont like my country, then you can f* off!

Ela deu parabens pro cara, pela coragem dele e depois tomou o cartaz e o pisoteou! Daih seguiu cantando Let it will be, que eu nao acho muito dancante.

O fim

A ultima musica foi Everybody, do primeiro disco dela. Ela pediu pra galera segurar no dance and sing, get up and do your thing, enquanto ela dancava mas a animacao japonesa nao foi suficiente. Ela parou de dancar e pediu pro pessoar cantar mesmo, mas nao rolou. Daih ela simplesmente dancou, foi embora e acabou. Ficou todo mundo com cara de pastel e acabou mesmo. Ainda ensaiaram um fraco corinho chamando por ela, mas ate eu ja teria ido embora se fosse ela. Gomennasai.

Conclusao

Otimo show, dancei horrores, cantei, gritei, mas eu preferiria te-lo visto em outro lugar - I love New York, cof! - que nao Tokyo ou com o publico certo - Shinjuku 2 chome, cof, cof!.



* Eramos 4 pessoas, eu e meu convidado Danilo, Shigeko e seu convidado Gustavo, todos brasileiros.

posted by Bia | 5:43:00 PM


imperdivel
minhas fotos
blogs por aih
blogs no japao
jornais
archives