De cabe├ža para baixo
Alta tecnologia, Made in Japan.


quinta-feira, agosto 11, 2005  

Um paragrafo sobre musica japonesa, mui amada J-Pop de nerds e aspirantes a desenhistas de manga.

Cara, musica pra mim tem que rimar. ABAB, ABBA, esse tipo de coisa. Nao falo de letra xexelenta de pagodeiro que tem a cara de pau de rimar "amor" com "amor", mas, putz, amor tambem eh uma palavra facil demais de rimar. Amor com calor, amor com dor, essas coisas basicas nao valem. Nem aquela merda de cogumelo plutao que fez a pior musica da historia das notas musicas, em que o caboco nao conseguiu sair do Do, Mi, Sol e rimou tudo em "ida". Aquela musica me deu um irc do inicio ao fim. Sim, deu, porque eu nao fui idiota de ouvi-la mais de uma vez. Enfim, musica japonesa nao rima. J-pop, Enka, nada rima, eh broxante, e por essas e outras eh que eu gosto do Chemistry, a unica coisa decente no vasto mundo da musica niponica. A musica japonesa da espaco pra muita gente (podre). Se voce tem algum sonho de se tornar um cantor, mesmo que seja produzindo um unico misero single, venha para o Japao que aqui o mercado de singles funciona. Eh uma coisa. Qualquer menininha com voz de hiena e cara de vaca atolada consegue. Voce tambem consegue. Voltando ao Chemistry, os caras sao romanticozinhos, bonitinhos e tem a voz legal. E rimam.


Omoi wa omoi no mama de netsu wo ushinau dake
anata wa kaeru ano hi no basho e
boku wa boku no michi e



E Ayumi Hamasaki eh meu osso esquerdo. Ela eh a pagodeira do J-pop que tem coragem de rimar "mo" com "mo". Uoh.


mabushii umi kogareta kisetsu mo
yuki no maiorita kisetsu mo


Foi um longo paragrafo.

posted by Bia | 4:01:00 AM


imperdivel
minhas fotos
blogs por aih
blogs no japao
jornais
archives